Pular para o conteúdo principal

Follow ou Unfollow: Um desabafo do que está sendo twittado sobre pesquisas

Desde a última sexta-feira que o assunto principal do Twitter é o resultado da pesquisa eleitoral para o Governo de Sergipe. Neste dia, a TV Sergipe noticiou a vantagem de 16 pontos de Marcelo Déda sobre João Alves. (48% X 32%). E hoje, o Dataform trouxe resultado semelhante: o atual governador tem 48% das intenções contra 33% do seu principal adversário. Ou seja, dentro da margem de erro, os dados são os mesmos.

Por conta disso, aqueles que estão em desvantagem iniciaram uma série de críticas aos números. Questionamentos sem fundamentação alguma foram levantados e até o momento nenhuma prova foi mostrada sobre a manipulação dos dados para favorecimento à candidatura do PT.

O professor Abelardo Neto (@netodograccho), disse algo muito importante: "Analisar pesquisa sem paixão: quem fica na frente comemora e quem não fica desacredita a fonte". E a jornalista Raquel Passos (@raquel_passos) fez uma pergunta extremamente cabível: “Porque quem está perdendo sempre acha que pesquisa não é verdade?”.

Para este questionamento não apareceram respostas. Uma única argumentação ficou no ar: “foi o Ibope que em 1994 previu a vitória de Albano contra Jackson por mais de 150 mil votos no 1º turno da eleição. Resultado: Albano perdeu”. A declaração foi feita pelo candidato em desvantagem na pesquisa, João Alves Filho (@joaoalvesfilho).

E logo em seguida, João foi ainda mais incisivo: “Por estranha coincidência, o Ibope em Sergipe dá sempre vitória a quem tem dinheiro. O resultado do Ibope confirmou as advertências feitas por vocês aqui no twitter: sua publicação foi adiada para manipulação de dados”.

Sobre o resultado da pesquisa Dataform de hoje, o escarcéu foi menor. Até porque ficar batendo na mesma tecla não funciona. Mas ainda assim continuam tentando desqualificar os números. Mas as pesquisas até o momento divulgadas apresentam dados extremamente parecidos.

Na semana antepassada, o instituto Única divulgou pesquisa dando 11 pontos de vantagem para Déda. Isso há mais de dez dias. Com a propaganda eleitoral e a intensificação da campanha, o petista subiu. Os números do Única já eram quase iguais aos do Ibope, que realizou pesquisa nos 75 municípios para consumo interno da campanha do PT.

Ou seja, desde que a campanha ganhou às ruas pra valer no início deste mês que as pesquisas estão apresentando dados e tendências semelhantes. Por conta disso, faço minhas as palavras do editor de Jornalismo do Cinform, Jozailto Lima, na coluna Cinformando desta semana: “Déda ganha a eleição logo no dia 3”.

E para isso Jozailto argumenta dizendo que a tendência de que Déda vence João “está na infinita configuração de vantagens que o faz de pé perante o oponente: é 'dono' de Governo, é protegido de um presidente de República forte, tem uma candidata à Presidência em ascensão, tem a maior coligação interna, está espichado no curtume das melhores lideranças políticas e partidárias, não tem nenhum candidato nanico entre os demais cinco que acene perigo e, sobretudo, está com sua carreira em decolagem ou, no mínimo, em voo cruzeiro. Já João está no extremo oposto de tudo isso. Vive apenas do rescaldo e do peso de seu nome histórico”.

Sei que o resultado definitivo só será visto no dia 3 de outubro, quando as urnas forem abertas. Sei também que até lá muita coisa pode acontecer. Sei ainda que as pesquisas são um retrato do momento. Mas sei, no entanto, que elas revelam tendências e verdades antecipadas. Reclamar e criticar são direitos de todos. Mas isso deve ser feito com argumentos e não com despropósitos. Isso só revela que os dados não estão errados, como querem fazer parecer.

Follow para os que respeitam as opiniões e para os que sabem argumentar. Unfollow para quem não merece nem mesmo ser citado por aqui, diante de tantas postagens desnecessárias. Os 140 caracteres do Twitter se tornam tão mais insignificantes nas mãos de quem não sabe utilizá-los.

Diante de tudo isso, mantenho um único questionamento: o que dirão estas pessoas ao final do dia 3 de outubro? Será que as urnas assim como as pesquisas também poderão dar resultados errados? Vamos aguardar!

Comentários

Oliveira disse…
Caro Valter

Tenho lido o seu blog, e me surpreendo sempre com a qualidade do texto e dos argumentos. Deixo meus parabéns, como apreciador do jornalismo de boa qualidade.
Oliveira Jr.
Excelente texto, Walter! Muito boa análise e construção textual. Follow you! kkkkk =)
Menilson Filho disse…
Excelente texto! Muitos poderão se prender no argumento - fraco - da parcialidade, mas defendo que mais imparcial do que isso seria impossível. Seu texto é um mero retrato da realidade, aceitem ou não. Está de parabéns! Que bom que existe este blog, porque para você os 140 caracteres do TT serão sempre poucos, pois está escrevendo muito bem!
Anônimo disse…
com certeza o secretario da casa civil deve estar apreciado os textos (ou chamaria de babacão de ovo)aja puxa saco petista isso é imparcial mesmo valter tenha vergonha na cara a unica mascara que caira sera a sua aprendiz de demagogo petista

Postagens mais visitadas deste blog

Erotização da música influi na precocidade sexual da criança

É comum vermos crianças cada vez mais novas cantando e dançando ao som de refrões carregados de sexualidade, utilizando roupas e calçados impróprios para essa fase. As músicas erotizadas se tornam febre entre meninos e meninas em todo o país, mesmo sem muitas vezes terem conhecimento do que estejam ouvindo ou dançando. Mas qual a influência dessas músicas no desenvolvimento da criança? De que modo a letra de uma canção pode influenciar o comportamento infantil?

Para a psicóloga Aline Maciel, músicas de cunho apelativo com letras que tratem de sexo estimulam a iniciação sexual precoce entre meninos e meninas. Segundo ela, “músicas com uma carga sexual muito forte aliadas a coreografias sensuais fazem com que as crianças tenham acesso a elementos que não são adequados a sua faixa etária, induzindo comportamentos inadequados”.

O artigo A música e o Desenvolvimento da Criança, de autoria da Doutora em Educação Monique Andries Nogueira, atesta que a música tem um papel importante nos aspect…

Lambe-sujo e Caboclinhos: a cultura viva

A força de uma cultura se revela na capacidade de agregar, envolver e orgulhar. Em Laranjeiras, isso se concretiza durante a “Festa do Lambe-Sujo”, folguedo sergipano encenado todos os anos no 2º domingo de outubro.


No folguedo, os negros (lambe-sujos) lutam contra a tentativa dos índios (caboclinhos) de destruírem os quilombos.



A partir das imagens captadas pela fotojornalista Ana Lícia Menezes é possível perceber o quão forte é a cultura local e a crença no folguedo. Carregado de simbolismo, o folguedo envolve crianças, jovens e adultos, que se apossam da história da terra para se divertir, se alegrar e manter viva a cultura.

Logo cedo, os lambe-sujos se espalham pela cidade, desde a entrada até a praça central de Laranjeiras. Assim, demarcam território e mostram que estão prontos para o combate. Em maioria, os lambe-sujos também ocupam a área próxima à igreja, onde recebem a benção do padre, antes de iniciar os embates.



Fortalecidos pela oração e crentes em sua fé, os lambe-sujos estã…

Um olhar para 2008

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no
limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e
entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra
vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra
diante vai ser diferente."
(Carlos Drummond de Andrade)


Recebi esse texto ontem pelo orkut como parte de uma mensagem de felicitações pelo novo ano que está por iniciar e me pus a pensar na verdade que ele transmite.

Todos temos a necessidade de ver nossas esperanças e sonhos sendo renovados. Todo indivíduo precisa planejar, desejar, acreditar. Planejar uma vida diferente, o início de um novo projeto. Desejar ascensão profissional, aprovação no vestibular ou em um concurso público. Acreditar em novo amor, em um novo tempo. Acreditar no fim da violência, na prevalescência do amor e da paz sobre toda a Terra, por mais que isso pareça utóp…