Pular para o conteúdo principal

João, Albano, Anderson e Nilson: chapa estranha!

Chegando ao limite do prazo para o fechamento das alianças, os partidos de oposição se articulam para lançar uma chapa competitiva. O DEM esperou até o fim por um racha no bloco governista, o que não ocorreu. O PSC de Eduardo e de Edivan Amorim foi acomodado na chapa e mesmo com essa birra de Almeida, o PMDB de Jackson Barreto se manteve na aliança. Ou seja, restaram para a oposição o PSDB de Albano Franco (que mais do que qualquer outro queria também estar do lado de Déda), o PPS de Nilson Lima e agora o PV de Anderson Góis.

Os caminhos e os descaminhos da política fomentam alianças inimagináveis. E uma delas é a de Nilson Lima como vice de João Alves, como está sendo especulado nesta semana. Nilson é cria de Déda, sempre esteve ao lado do atual governador até o racha ocorrido no final de 2008, quando o atual presidente estadual do PPS deixou a Secretaria da Fazenda, para alguns meses depois se lançar com uma terceira via para as eleições deste ano. Parece que ele nem bem entrou na água e já vai morrer na praia.

A possibilidade da aliança com João também soa estranha para Anderson Góis. Saído do PCB, o agora PV (que na semana passada chegou a anunciar filiação ao PP de Venâncio Fonseca) também está sendo assediado para ser um dos nomes da chapa majoritária que deve ter João Alves como candidato a governador e Albano Franco a uma das vagas do Senado. Mesmo saindo derrotado das eleições de 2008 na disputa pela prefeitura de Aracaju, Anderson surgiu com sangue novo no cenário, alguém que em curto prazo poderia movimentar a cena política estadual. Agora tende a se render aos acenos de João e Albano.

Eu não tenho absolutamente nada contra os ex-governadores Albano Franco e João Alves, mas eles, definitivamente, não representam o novo. Não são novidade. São caciques da política sergipana, estão nesta seara há décadas. Não vejo este espaço como o mais propício para o desenvolvimento de novas lideranças como Anderson Góis e Nilson Lima. Entendo que sozinhos, eles também podem não chegar muito longe, mas a chapa com João governador e Nilson ou Anderson como vice soa estranha. Estranha não para João, que sempre marchou no sentido contrário ao de Déda, mas é estranha, por demais, a Nilson e a Anderson.

Até domingo, dia em que o DEM deve oficializar João candidato ao Governo, as discussões continuarão ocorrendo e a expectativa é de que a oposição marche unida contra Déda, Valadares, Amorim, Jackson, Ulices e Edvaldo Nogueira, os principais nomes do grupamento que hoje governa Sergipe. A disputa - como venho afirmando sempre - será dura. O que nos resta é acompanhar o desempenho de cada chapa a partir de julho. Qual será a capacidade de cada grupo nesse desenho novo das alianças? Será que tantos líderes políticos conseguirão marchar juntos na campanha até outubro?

Comentários

Anônimo disse…
Seu patrão, o comunista Edvaldo, é aliado de Albano um expoente da mesmice e liberal.
Já seu líder Déda se aliou a jakcson ( que ele votou pelo impichment), valadares ( que mandou a policia bater nos manifestantes) e a amorim (que dispensa explicações).
AD disse…
Estranho não é, pois estamos falando de política. E em política tudo pode.
Digamos que seja apenas interessante.

Postagens mais visitadas deste blog

Erotização da música influi na precocidade sexual da criança

É comum vermos crianças cada vez mais novas cantando e dançando ao som de refrões carregados de sexualidade, utilizando roupas e calçados impróprios para essa fase. As músicas erotizadas se tornam febre entre meninos e meninas em todo o país, mesmo sem muitas vezes terem conhecimento do que estejam ouvindo ou dançando. Mas qual a influência dessas músicas no desenvolvimento da criança? De que modo a letra de uma canção pode influenciar o comportamento infantil?

Para a psicóloga Aline Maciel, músicas de cunho apelativo com letras que tratem de sexo estimulam a iniciação sexual precoce entre meninos e meninas. Segundo ela, “músicas com uma carga sexual muito forte aliadas a coreografias sensuais fazem com que as crianças tenham acesso a elementos que não são adequados a sua faixa etária, induzindo comportamentos inadequados”.

O artigo A música e o Desenvolvimento da Criança, de autoria da Doutora em Educação Monique Andries Nogueira, atesta que a música tem um papel importante nos aspect…

Lambe-sujo e Caboclinhos: a cultura viva

A força de uma cultura se revela na capacidade de agregar, envolver e orgulhar. Em Laranjeiras, isso se concretiza durante a “Festa do Lambe-Sujo”, folguedo sergipano encenado todos os anos no 2º domingo de outubro.


No folguedo, os negros (lambe-sujos) lutam contra a tentativa dos índios (caboclinhos) de destruírem os quilombos.



A partir das imagens captadas pela fotojornalista Ana Lícia Menezes é possível perceber o quão forte é a cultura local e a crença no folguedo. Carregado de simbolismo, o folguedo envolve crianças, jovens e adultos, que se apossam da história da terra para se divertir, se alegrar e manter viva a cultura.

Logo cedo, os lambe-sujos se espalham pela cidade, desde a entrada até a praça central de Laranjeiras. Assim, demarcam território e mostram que estão prontos para o combate. Em maioria, os lambe-sujos também ocupam a área próxima à igreja, onde recebem a benção do padre, antes de iniciar os embates.



Fortalecidos pela oração e crentes em sua fé, os lambe-sujos estã…

Um olhar para 2008

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no
limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e
entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra
vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra
diante vai ser diferente."
(Carlos Drummond de Andrade)


Recebi esse texto ontem pelo orkut como parte de uma mensagem de felicitações pelo novo ano que está por iniciar e me pus a pensar na verdade que ele transmite.

Todos temos a necessidade de ver nossas esperanças e sonhos sendo renovados. Todo indivíduo precisa planejar, desejar, acreditar. Planejar uma vida diferente, o início de um novo projeto. Desejar ascensão profissional, aprovação no vestibular ou em um concurso público. Acreditar em novo amor, em um novo tempo. Acreditar no fim da violência, na prevalescência do amor e da paz sobre toda a Terra, por mais que isso pareça utóp…