Pular para o conteúdo principal

No twitter, Jackson comenta eleições 2012 e manda adversários tomarem cuidado com o "papocar antecipado dos foguetes"

As twitadas do vice-governador Jackson Barreto (PMDB) são sempre carregadas de bom humor, polêmicas e comentários que rendem boas análises. Hoje, ele twitou sobre uma conversa que teve com o senador Valadares (PSB) sobre a disputa eleitoral de 2012 em Aracaju, que promete ser uma das mais disputadas dos últimos tempos. Falou também sobre uma suposta pesquisa que lhe coloca em condição de empate com o ex-governador João Alves (DEM) num cenário improvável de disputa pela prefeitura da capital.

Disse Jackson: “Estou pulando de alegria sem me preocupar com a fogueira de São João. Vi o meu nome numa pesquisa em Aracaju, empate técnico com João Alves”. Sobre o assunto, prosseguiu o vice-governador fazendo referências a Luís Gonzaga. “Me lembrei da volta de Luís Gonzaga ao sertão, quando apesar do sucesso, os amigos e familiares cantarolavam para o velho Lula: ‘Luís, respeita Januário, você pode ser famoso, mas seu pai é mais tinhoso, e com ele ninguém vai’”.

Mas, Jackson tratou logo de encerrar a possibilidade de ser ele o candidato da base aliada. “Só que eu não deixo a vice nem com os oito baixos do véio Januário. Quero agradecer esse carinho do povo para com meu nome. E usarei isso a favor do candidato do nosso projeto”, afirmou. E disse mais: “Aos nossos adversários, cuidado com o papocar antecipado dos foguetes, para não terem que amanhã apanhar as flechas”.

Depois disso, o vice-governador e líder do PMDB no Estado contou como se deu a conversa com o senador Valadares. “O senador Valadares me perguntou em Brasília como eu analisava a sucessão municipal em Aracaju. O senador foi correto, não manifestou preferência por nenhuma candidatura. Quis saber se eu tinha um projeto para garantir o sucesso em 2012”, detalhou.

E prosseguiu: “Respondi prontamente: senador, quando você foi candidato a governador do Estado, em 86, qual era a sua situação nas pesquisas, na capital? Como estava o seu adversário, nas pesquisas e qual foi o resultado da eleição na capital?, perguntei ao senador Valadares”.

De acordo com Jackson, a resposta do senador foi a seguinte: “Eu perdia em Aracaju, o adversário estava na frente, com 62% e terminei ganhando por 9 pontos”. Sendo assim, o vice afirma que disse a Valadares que “nós sabemos que era outro momento e o nosso prestígio era diferente de hoje, mas trabalhamos harmonicamente, Governo do Estado e Prefeitura de Aracaju, de forma coordenada na periferia da capital e o resultado foi a ampla vitória”.

Para Jackson, “a população da periferia continua esperando uma ação conjunta do Estado e do município”. Neste sentido, o vice-governador afirma que não vê muito mistério e frisa que está disposto “a repetir como o velho Vandré: “Quem sabe faz a hora, não espera acontecer”.

Certamente, a um ano e três meses da eleição não é possível afirmar categoricamente que o jogo da disputa pela prefeitura de Aracaju já está decidido. Como bem disse Jackson, há muitos cenários a se considerar. Ainda não há candidato definido por parte da base e o grupo ainda não trabalha em unidade por um nome.

Em relação a conversa com Valadares, a teoria apresentada por Jackson não é nova. Ele tem reiterado repetidas vezes que o caminho da vitória está na periferia, com Governo e prefeitura trabalhando em conjunto para concluir obras e garantir apoio da fatia da população que, certamente, é uma das mais insatisfeitas com as atuais administrações.

E a fala de Jackson se encerra com um trecho da mais famosa canção de Geraldo Vandré: “Quem sabe faz a hora, não espera acontecer”. Válida para os dois lados da disputa – oposição e situação – não há tempo a se perder e é preciso fazer a hora e desenvolver ações que repercutam positivamente sobre as possíveis candidaturas. Esperar acontecer é se utilizar de um expediente perigoso: o da soberba. E pelo que se viu em 2010, este não é um bom caminho.

Comentários

Anônimo disse…
N entendo absolutamente nada de política. Mas é desolador saber que essas pessoas estão mais preocupadas com o poder do que em cumprir sua função essencial.

Postagens mais visitadas deste blog

Erotização da música influi na precocidade sexual da criança

É comum vermos crianças cada vez mais novas cantando e dançando ao som de refrões carregados de sexualidade, utilizando roupas e calçados impróprios para essa fase. As músicas erotizadas se tornam febre entre meninos e meninas em todo o país, mesmo sem muitas vezes terem conhecimento do que estejam ouvindo ou dançando. Mas qual a influência dessas músicas no desenvolvimento da criança? De que modo a letra de uma canção pode influenciar o comportamento infantil?

Para a psicóloga Aline Maciel, músicas de cunho apelativo com letras que tratem de sexo estimulam a iniciação sexual precoce entre meninos e meninas. Segundo ela, “músicas com uma carga sexual muito forte aliadas a coreografias sensuais fazem com que as crianças tenham acesso a elementos que não são adequados a sua faixa etária, induzindo comportamentos inadequados”.

O artigo A música e o Desenvolvimento da Criança, de autoria da Doutora em Educação Monique Andries Nogueira, atesta que a música tem um papel importante nos aspect…

Lambe-sujo e Caboclinhos: a cultura viva

A força de uma cultura se revela na capacidade de agregar, envolver e orgulhar. Em Laranjeiras, isso se concretiza durante a “Festa do Lambe-Sujo”, folguedo sergipano encenado todos os anos no 2º domingo de outubro.


No folguedo, os negros (lambe-sujos) lutam contra a tentativa dos índios (caboclinhos) de destruírem os quilombos.



A partir das imagens captadas pela fotojornalista Ana Lícia Menezes é possível perceber o quão forte é a cultura local e a crença no folguedo. Carregado de simbolismo, o folguedo envolve crianças, jovens e adultos, que se apossam da história da terra para se divertir, se alegrar e manter viva a cultura.

Logo cedo, os lambe-sujos se espalham pela cidade, desde a entrada até a praça central de Laranjeiras. Assim, demarcam território e mostram que estão prontos para o combate. Em maioria, os lambe-sujos também ocupam a área próxima à igreja, onde recebem a benção do padre, antes de iniciar os embates.



Fortalecidos pela oração e crentes em sua fé, os lambe-sujos estã…

Um olhar para 2008

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no
limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e
entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra
vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra
diante vai ser diferente."
(Carlos Drummond de Andrade)


Recebi esse texto ontem pelo orkut como parte de uma mensagem de felicitações pelo novo ano que está por iniciar e me pus a pensar na verdade que ele transmite.

Todos temos a necessidade de ver nossas esperanças e sonhos sendo renovados. Todo indivíduo precisa planejar, desejar, acreditar. Planejar uma vida diferente, o início de um novo projeto. Desejar ascensão profissional, aprovação no vestibular ou em um concurso público. Acreditar em novo amor, em um novo tempo. Acreditar no fim da violência, na prevalescência do amor e da paz sobre toda a Terra, por mais que isso pareça utóp…