Pular para o conteúdo principal

Sindijor emite nota contra deputado que chamou jornalista de "viado"

O Sindicato dos Jornalistas de Sergipe emitiu nota de solidariedade ao jornalista Cláudio Nunes e de repúdio ao deputado estadual Augusto Bezerra (DEM). 


NOTA DE SOLIDARIEDADE E REPÚDIO

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Sergipe (Sindijor-SE) vem a público manifestar total solidariedade ao jornalista Cláudio Nunes e repudiar os ataques de cunho homofóbico e depreciativo do deputado estadual Augusto Bezerra (DEM), contra o jornalista, na rede social Twitter, ocorrido na manhã desta quinta-feira (28/4).

Ao acompanhar a troca de mensagem naquele microblog, vê-se claramente uma postagem do jornalista Cláudio Nunes se referindo a um “Político (que) anunciou que vai a PF denunciar contratos (...)”, com o complemento “Pelos processos que tem corre o risco de ficar por lá. A quem servir a carapuça que a vista”. De pronto, o deputado do DEM associou a mensagem à sua pessoa e respostou com a frase “Dizem q vc e VIADO e eu nunca lhe destratei e sempre lhe respeitei”. O senhor deputado Augusto Bezerra, para justificar tão rasteira e homofóbica posição, alegou ter sido chamado de ladrão pelo jornalista. Mas onde está a postagem de Nunes no Twitter ou em seu blog com tal afirmativa? Ela não existe.

Portanto, diante da análise dos fatos, fica claro que o deputado demista, um parlamentar eleito pelo voto popular, perdeu completamente a compostura, o senso de respeito e a seriedade que devem ser marcas de um “servidor do povo de Sergipe”, se utilizando de linguagem de baixo calão e de forte apelo homofóbico para agredir o jornalista. Não é isso que se espera de um parlamentar. Se o deputado se sentiu ofendido pela postagem de Nunes, que procurasse outros meios – e eles existem – para se defender que não a ofensa pura e simples, que atinge, em certa medida, toda a categoria dos jornalistas. Porque hoje é a tentativa de humilhação pública a um colega de imprensa; amanhã, o tapa na cara, o tiro, a censura e a perseguição aos jornalistas no exercício da sua atividade profissional.

Mais grave ainda é que, num momento em que a sociedade luta para que os direitos das comunidades homossexuais sejam respeitados, levando-se em consideração que todos nasceram para serem felizes, independentemente da cor de sua pele, da sua religião, de sua terra natal ou da sua orientação sexual, o deputado do DEM sergipano, na linha do racista e homofóbico deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), reforça, com o que escreveu no seu Twitter, o preconceito e a homofobia, elementos que devem ser o quanto antes extirpados da nossa sociedade por serem produtos do ódio contra seres humanos, cidadãos acima de tudo.

Neste sentido, o Sindijor-SE reitera posição de solidariedade irrestrita ao companheiro jornalista Cláudio Nunes e já colocou à disposição do jornalista a sua assessoria jurídica, para avaliar quais as providências judiciais cabíveis no caso em tela.

Aracaju (SE), 28 de abril de 2011

Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Sergipe


Para entender melhor a questão leia o post anterior sobre a polêmica.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Erotização da música influi na precocidade sexual da criança

É comum vermos crianças cada vez mais novas cantando e dançando ao som de refrões carregados de sexualidade, utilizando roupas e calçados impróprios para essa fase. As músicas erotizadas se tornam febre entre meninos e meninas em todo o país, mesmo sem muitas vezes terem conhecimento do que estejam ouvindo ou dançando. Mas qual a influência dessas músicas no desenvolvimento da criança? De que modo a letra de uma canção pode influenciar o comportamento infantil?

Para a psicóloga Aline Maciel, músicas de cunho apelativo com letras que tratem de sexo estimulam a iniciação sexual precoce entre meninos e meninas. Segundo ela, “músicas com uma carga sexual muito forte aliadas a coreografias sensuais fazem com que as crianças tenham acesso a elementos que não são adequados a sua faixa etária, induzindo comportamentos inadequados”.

O artigo A música e o Desenvolvimento da Criança, de autoria da Doutora em Educação Monique Andries Nogueira, atesta que a música tem um papel importante nos aspect…

Lambe-sujo e Caboclinhos: a cultura viva

A força de uma cultura se revela na capacidade de agregar, envolver e orgulhar. Em Laranjeiras, isso se concretiza durante a “Festa do Lambe-Sujo”, folguedo sergipano encenado todos os anos no 2º domingo de outubro.


No folguedo, os negros (lambe-sujos) lutam contra a tentativa dos índios (caboclinhos) de destruírem os quilombos.



A partir das imagens captadas pela fotojornalista Ana Lícia Menezes é possível perceber o quão forte é a cultura local e a crença no folguedo. Carregado de simbolismo, o folguedo envolve crianças, jovens e adultos, que se apossam da história da terra para se divertir, se alegrar e manter viva a cultura.

Logo cedo, os lambe-sujos se espalham pela cidade, desde a entrada até a praça central de Laranjeiras. Assim, demarcam território e mostram que estão prontos para o combate. Em maioria, os lambe-sujos também ocupam a área próxima à igreja, onde recebem a benção do padre, antes de iniciar os embates.



Fortalecidos pela oração e crentes em sua fé, os lambe-sujos estã…

Um olhar para 2008

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no
limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e
entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra
vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra
diante vai ser diferente."
(Carlos Drummond de Andrade)


Recebi esse texto ontem pelo orkut como parte de uma mensagem de felicitações pelo novo ano que está por iniciar e me pus a pensar na verdade que ele transmite.

Todos temos a necessidade de ver nossas esperanças e sonhos sendo renovados. Todo indivíduo precisa planejar, desejar, acreditar. Planejar uma vida diferente, o início de um novo projeto. Desejar ascensão profissional, aprovação no vestibular ou em um concurso público. Acreditar em novo amor, em um novo tempo. Acreditar no fim da violência, na prevalescência do amor e da paz sobre toda a Terra, por mais que isso pareça utóp…