sábado, 2 de abril de 2011

Em Sergipe, PT inicia ciclo de debates sobre o futuro do Brasil

O Partido dos Trabalhadores (PT) realizou nesta sexta-feira, 1º, em Aracaju, o primeiro encontro do ciclo de debates “Brasil Hoje e suas Perspectivas”. Reflexões sobre o futuro do país e a participação do PT neste processo, além do debate sobre a reforma política deram o tom do evento, que será realizado também em outros Estados. Na oportunidade, foram lançados os livros “2003-2010: o Brasil em Transformação” e “Brasil em debate”, produzidos pela Fundação Perseu Abramo.

O encontro contou com a participação do presidente da fundação, Nilmar Miranda, do secretário geral do PT nacional, Elói Pietá, e do professor da Universidade Federal do Pará, Raimundo Trindade. Os deputados federais Márcio Macêdo e Rogério Carvalho, as deputadas estaduais Conceição Vieira e Ana Lúcia e os vereadores Emanuel Nascimento e Simone Góis prestigiaram o ciclo de debates.

“Precisamos refletir sobre o futuro do PT que já está em seu terceiro mandato à frente da presidência do Brasil. Alcançamos avanços importantes, mas temos a obrigação de continuar governando bem no presente e pensando no futuro do país”, afirmou o presidente estadual do PT, Silvio Santos, principal responsável pela realização do evento ao lado do presidente municipal do partido em Aracaju, Usiel Rios.

O secretário geral do PT, Elói Pietá, disse que 2011 é ideal, por ser um ano não eleitoral, para “repensar o PT e o Brasil que está passando por um grande transformação”. Para ele, com o início do terceiro governo petista no país, o PT deve discutir “quais os novos patamares que o partido quer atingir na sociedade brasileira”.

Perspectivas
Palestrante principal do ciclo de debates, o professor Raimundo Trindade fez uma apresentação centrada em quais são as perspectivas para o desenvolvimento brasileiro, dando enfoque à participação do país no cenário internacional e a política econômica desenvolvida nos dois mandatos do ex-presidente Lula.

Sobre o cenário internacional, Trindade afirmou que os desafios principais dos próximos anos estão na questão energética, no aumento da inflação dos produtos agrícolas, no fluxo de capital mais intenso e na crescente instabilidade política. De acordo com ele, o Brasil precisa se desenvolver economicamente para alcançar taxas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) numa média de 5,5%. Hoje este índice está em 4,5%.

No contexto da política econômica do Governo Lula, o professor ressaltou que o país focou nas transferências de renda, no aumento real do salário mínimo, na manutenção do programa de investimentos, na desoneração tributária, na ampliação das contratações públicas e nos aspectos da garantia de crédito. A redução significativa da taxa de pobreza nos últimos oito anos também foi citada como ponto importante do sucesso da economia brasileira.

Reforma política

O presidente da Fundação Perseu Abramo, Nilmar Miranda, falou sobre a importância da reforma política defendendo um modelo mais justo com financiamento público de campanha e voto proporcional em lista fechada. “O financiamento privado de campanha e o voto em pessoas e não em partidos despolitiza o processo eleitoral”, afirmou.

Neste contexto, ele defendeu ainda o sistema de lista partidária e de fidelidade partidária e disse que é necessário acabar com as coligações para deputados e incentivar a participação popular. “2011 é o ano para se fazer essa reforma. Precisamos mobilizar a sociedade, para aprovar um modelo mais justo”, frisou.

Ao fim das apresentações, os deputados Rogério Carvalho e Márcio Macêdo falaram sobre o andamento do debate da reforma política na Câmara e a platéia pode participar das discussões com questionamentos aos palestrantes.

Nenhum comentário: