terça-feira, 15 de março de 2011

Valadares quer mais informações sobre usinas nucleares no Brasil


O senador Antonio Carlos Valadares, líder do PSB no Senado, solidarizou-se hoje com o povo do Japão, vítima de grande terremoto e um tsunami, que provocaram vazamento em suas usinas nucleares. E, durante reunião da Comissão de Meio Ambiente (CMA), Valadares apresentou requerimento, juntamente com o senador Jorge Viana, para que sejam convidados para uma audiência pública sobre as quatro novas usinas nucleares que deverão ser instaladas no Brasil, o ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, e o diretor-presidente da Eletrobrás Termonuclear S/A (Eletronuclear), Othon Luiz Pinheiro da Silva.

No documento, Valadares e Jorge Viana argumentam que o objetivo da audiência pública é o de esclarecer ao Senado e à sociedade brasileira questões sobre o programa nuclear brasileiro, em face dos desastres nucleares ocorridos recentemente no Japão, incluindo: sistemas de segurança das usinas nucleares já instaladas, planos de emergência em caso de acidentes, plano de expansão do programa nuclear com foco nos sistemas de segurança, prevenção de acidentes e armazenamento dos resíduos radioativos.

Além das usinas nucleares de Angra I e II, e a III em fase de instalação, no Rio de Janeiro, estão previstas a construção de mais quatro, inclusive uma no Nordeste do país, até o ano de 2030. De acordo com informações da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), do Ministério de Ciência e Tecnologia, que fiscaliza a utilização da energia nuclear no país, as quatro novas usinas terão reatores de terceira geração, com sistema de segurança passiva avançado (sem necessidade de intervenção humana) para evitar acidentes.

“Precisamos debater o assunto com o ministro e com especialistas da área, para que tenhamos uma posição sólida sobre se os projetos deverão ganhar continuidade ou não. Em caso de irem adiante, são necessários muitos esclarecimentos, para que tenhamos todos segurança e tranqüilidade”, avaliou Valadares.      

Um comentário:

Anônimo disse...

É de extrema importância que a população participe desta decisão, uma vez que a vinda de usinas nucleares para a bahia, põe em risco a vida dos baianos, não é mais uma questão meramente de interesses políticos, mas sim de todos.

Não queremos usinas nucleares na bahia, e faremos o possivel para intervir.