Pular para o conteúdo principal

Susana quer discutir soluções para a pobreza em Sergipe

A deputada Susana Azevedo (PSC) voltou a propor, hoje, na Assembleia Legislativa, a realização de audiência pública, tendo a participação do governador Marcelo Déda (PT), bancadas estadual e federal, além de prefeitos, para discutir e buscar soluções para pobreza em Sergipe. 

Ela criticou o uso das verbas de emendas parlamentares para promoção de shows em diversas prefeituras do interior, enquanto famílias moram em casas de taipa ou, nem mesmo, não têm onde morar. 

Para completar, o deputado Zezinho Guimarães (PMDB) disse que nos 11 meses que passou à frente da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) não recebeu uma emenda para erradicação de casas de taipa no Estado. 

Susana Azevedo ressaltou que em suas viagens pelo interior do Estado vê um quadro de miséria. “Eu vi, em muitos povoados, 15 pessoas morando numa casa de taipa quase caindo. Na dava para morar uma só pessoa, quanto mais 15”, lamentou, ao acrescentar que cabe o espírito público para resolver estes problemas. 

A parlamentar lamentou, também, que haja facilidade na liberação de emendas para realização de shows, enquanto há dificuldades para se investir em casas. “Eu sempre me revoltei com isso. Por isso é que continuo defendendo uma audiência pública para colocarmos essas questões e resolvermos. As pessoas nos elegeram para isso, para trabalhar e melhorar a condição de vida delas. Vamos fazer disso uma bandeira para erradicar a pobreza e o analfabetismo deste Estado”, ressaltou Susana Azevedo. 

Aracaju

Além de alertar para a situação do interior do Estado, Susana Azevedo destacou os problemas que vem ocorrendo em Aracaju. Na última segunda-feira, moradores do Coqueiral e do Santa Maria fizeram uma manifestação para cobrar das autoridades um maior empenho nestas comunidades. Os dois bairros estão em péssima situação, obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) estão paradas e não há providência. 

Desde segunda-feira, também, um grupo de moradores do Coqueiral acampou em frente ao Palácio dos Despachos e diz que só sairá de lá quando as obras na comunidade recomeçarem. Susana, que conhece bastante o Coqueiral e o Santa Maria, afirmou que quando chove as casas ficam alagadas. 

“Quando começar a chover não tem um carro que queira entrar ali no Coqueiral e no Santa Maria. Os doentes saem no carrinho demão. É uma a situação de muita humilhação”, disse Susana. O ideal, segundo ela, é que as pessoas vivam com dignidade.

Susana afirmou que os recursos do PAC foram alocados e a Prefeitura de Aracaju deveria ter mais empenho em cobrar, em acompanhar a obra. “Marcamos uma audiência com o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, ficamos esperando e não aconteceu”, lamentou. “É importante que as obras saiam o mais rápido. As chuvas vão vir e a situação pode piorar”, alertou.

Assessoria Parlamentar 

Comentários

Paulo Daltro disse…
Esta deputada pra mim é a que tem mais afinidade com o povo. Muito autêntica e de coração grande!
Ela merece o reconhecimento de toda população sergipana.

Postagens mais visitadas deste blog

Erotização da música influi na precocidade sexual da criança

É comum vermos crianças cada vez mais novas cantando e dançando ao som de refrões carregados de sexualidade, utilizando roupas e calçados impróprios para essa fase. As músicas erotizadas se tornam febre entre meninos e meninas em todo o país, mesmo sem muitas vezes terem conhecimento do que estejam ouvindo ou dançando. Mas qual a influência dessas músicas no desenvolvimento da criança? De que modo a letra de uma canção pode influenciar o comportamento infantil?

Para a psicóloga Aline Maciel, músicas de cunho apelativo com letras que tratem de sexo estimulam a iniciação sexual precoce entre meninos e meninas. Segundo ela, “músicas com uma carga sexual muito forte aliadas a coreografias sensuais fazem com que as crianças tenham acesso a elementos que não são adequados a sua faixa etária, induzindo comportamentos inadequados”.

O artigo A música e o Desenvolvimento da Criança, de autoria da Doutora em Educação Monique Andries Nogueira, atesta que a música tem um papel importante nos aspect…

Lambe-sujo e Caboclinhos: a cultura viva

A força de uma cultura se revela na capacidade de agregar, envolver e orgulhar. Em Laranjeiras, isso se concretiza durante a “Festa do Lambe-Sujo”, folguedo sergipano encenado todos os anos no 2º domingo de outubro.


No folguedo, os negros (lambe-sujos) lutam contra a tentativa dos índios (caboclinhos) de destruírem os quilombos.



A partir das imagens captadas pela fotojornalista Ana Lícia Menezes é possível perceber o quão forte é a cultura local e a crença no folguedo. Carregado de simbolismo, o folguedo envolve crianças, jovens e adultos, que se apossam da história da terra para se divertir, se alegrar e manter viva a cultura.

Logo cedo, os lambe-sujos se espalham pela cidade, desde a entrada até a praça central de Laranjeiras. Assim, demarcam território e mostram que estão prontos para o combate. Em maioria, os lambe-sujos também ocupam a área próxima à igreja, onde recebem a benção do padre, antes de iniciar os embates.



Fortalecidos pela oração e crentes em sua fé, os lambe-sujos estã…

Um olhar para 2008

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no
limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e
entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra
vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra
diante vai ser diferente."
(Carlos Drummond de Andrade)


Recebi esse texto ontem pelo orkut como parte de uma mensagem de felicitações pelo novo ano que está por iniciar e me pus a pensar na verdade que ele transmite.

Todos temos a necessidade de ver nossas esperanças e sonhos sendo renovados. Todo indivíduo precisa planejar, desejar, acreditar. Planejar uma vida diferente, o início de um novo projeto. Desejar ascensão profissional, aprovação no vestibular ou em um concurso público. Acreditar em novo amor, em um novo tempo. Acreditar no fim da violência, na prevalescência do amor e da paz sobre toda a Terra, por mais que isso pareça utóp…