sexta-feira, 25 de março de 2011

“Encontro entre Obama e Dilma representa reconhecimento de que Brasil é potência global”, afirma Márcio Macêdo

O deputado federal Márcio Macêdo (PT) fez um pronunciamento nesta quinta-feira, 24, sobre a vinda do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ao Brasil, no último final de semana. Em sua fala, o parlamentar disse que a visita foi “extremamente positiva” e ressaltou seu caráter simbólico. “Pela primeira vez um presidente empossado no Brasil é visitado por um presidente norteamericano antes de ir visitá-lo”, afirmou.

Márcio frisou ainda que o encontro entre Obama e a presidenta Dilma Rousseff (PT) representa o reconhecimento norteamericano do Brasil como potência global. “Isso se deve aos esforços empreendidos no Governo Lula e que, tenho certeza, serão aprofundados no governo Dilma, no combate às desigualdades sociais, regionais, nas agendas macroeconômica, educacional, ambiental, e na condição de liderança assumida pelo país na America Latina e na ampliação do diálogo brasileiro com os continentes africano e asiático”, reforçou.

Para o deputado, “a visita consolida um canal de diálogo de alto nível entre os Estados Unidos e o Brasil, e por extensão a América Latina”. Nesse contexto, Márcio acredita que o encontro entre os dois presidentes dará ainda mais fôlego a política de cooperação econômica, financeira e comercial, da importância do G-20 como instrumento de ampliação do diálogo global e da Rodada de Doha (da Organização Mundial do Comércio) como instrumento de estímulo de crescimento da economia global e da criação de empregos.

No âmbito das questões ambientais, o parlamentar disse que o encontro serviu para balizar as divergências e concordâncias acerca das matrizes energéticas dos dois países, buscando parcerias estratégicas efetivas no que se refere aos biocombustíveis e a outras fontes renováveis. Da mesma forma, o deputado afirmou que a vinda de Obama serviu para que os dois presidentes enfatizassem a importância da Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável (Rio + 20), que ocorrerá no Rio de Janeiro em 2012.

Na análise de Márcio Macêdo, “a postura do Brasil, ilustrada pela figura cortês, sóbria, firme e dura na defesa dos interesses nacionais da presidenta Dilma é a de um país que não pode se furtar a dialogar e a negociar com os Estados Unidos”. “Esses encontros servem para fomentar ações que permitam a continuidade do crescimento do Brasil, resolução de disparidades sociais e regionais internas e liderança de novos blocos geopolíticos. Este encontro significa a ruptura com um mundo unipolar e o reconhecimento e a passagem para um mundo multipolar, com múltiplas vozes na condução dos destinos da humanidade”, afirmou.

Nenhum comentário: