Pular para o conteúdo principal

Dilma: "Imprensa livre e investigativa é imprescindível"

Foto: Caio Guatelli/Folha
Por Josias de Souza, da Folha de S. Paulo

Dilma Rousseff participou, na noite desta segunda (21), da celebração dos 90 anos da ‘Folha de S.Paulo’. Discursou para uma platéia de cerca de 1.200 convidados. Fez uma defesa enfática da liberdade de expressão. E falou sobre o “novo desafio” da imprensa.

Aqui, em vídeo e texto, a íntegra do discurso da presidente da República. Ela falou por 10min22s.

A certa altura, disse que o governo "deve saber conviver com as críticas dos jornais para ter um compromisso real com a democracia". Noutro trecho, aditou: "Livre, plural e investigativa, a imprensa é imprescindível para a democracia num país como o nosso, que, além de continental, agrega diferenças culturais".

No final, repisou raciocínio que já havia levado aos microfones noutras ocasiões: “Nesse Brasil com uma democracia tão nova, todos nós devemos preferir um milhão de vezes os sons das vozes críticas de uma imprensa livre ao silêncio das ditaduras”.

Para Dilma, “o jornalismo impresso atravessa um momento especial”, marcado pela “revolução tecnológica” da internet. Acha que a web “modificou para sempre os hábitos dos leitores e, principalmente, a relação desses leitores com seus jornais”.

Sintetizou o “novo desafio” dos jornais num par de interrogações:

1. “Como oferecer um produto que acompanhe a velocidade tecnológica e não perca a sua profundidade?”

2. “Como aceitar as críticas dos leitores e torná-las um ativo do jornal?”

Antes de Dilma, falara Otavio Frias Filho, diretor de Redação da 'Folha' (3min38s).

Mencionou um “dilema” que assedia as redações. De um lado, a missão prestar “um serviço de utilidade pública”:

“Divulgar a verdade, estimular um exercício consciente da cidadania, iluminar o debate dos problemas coletivos”.

De outro, a constatação de que “o jornalismo sempre fica aquém de sua ambiciosa missão”:

“[...] A pressa, inerente à profissão, leva a conclusões precipitadas, relatos superficiais, omissões e erros”.

O que fazer? “A única resposta para esse dilema, expresso num recomeço diário que lembra o trabalho de Sísifo, é um autêntico desejo de melhorar”, disse Frias Filho.

O aniversário da ‘Folha’ foi festejado num ato multireligioso. Reuniu representantes de oito religiões. Deu-se na Sala São Paulo.

A Osesp (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo) executou a Sinfonia nº 6, de Heitor Villa-Lobos. Regeu-a o maestro Isaac Karabtchevsky.

Na platéia, personagens que costumam frequentar as manchetes. Entre eles o vice presidente Michel Temer (PMDB)...

Os governadores de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e do Rio, Sergio Cabral (PMDB)...

...Os presidentes do Senado, José Sarney (PMDB), da Câmara, Marco Maia (PT), e do STF, Cezar Peluso...

...Dois ex-presidentes da República: Fernando Henrique Cardoso e Fernando Collor, sob cuja presidência as dependências da 'Folha' foram invadidas pela PF.

Na abertura de seu discurso, Dilma fez questão de inclur FHC no rol de autoridades que cumprimentou. Injetou-o na lista como “ex-presidente”.

Collor não mereceu a mesma deferência. Foi acomodado, sem menção nominal, no grupo de “senadores e deputados” presentes.

Num dia em que o ex-rival qualificou seu governo de “estelionato eleitoral”, Dilma não se absteve de citá-lo:

“Queria cumprimentar também o senhor José Serra, ex-governador do Estado”, disse ela.

Durante o evento, políticos e personalidades de diferentes tendências defenderam a liberdade de imprensa. O grão-petê José Dirceu entoou o lero-lero da "regulação" da mídia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Erotização da música influi na precocidade sexual da criança

É comum vermos crianças cada vez mais novas cantando e dançando ao som de refrões carregados de sexualidade, utilizando roupas e calçados impróprios para essa fase. As músicas erotizadas se tornam febre entre meninos e meninas em todo o país, mesmo sem muitas vezes terem conhecimento do que estejam ouvindo ou dançando. Mas qual a influência dessas músicas no desenvolvimento da criança? De que modo a letra de uma canção pode influenciar o comportamento infantil?

Para a psicóloga Aline Maciel, músicas de cunho apelativo com letras que tratem de sexo estimulam a iniciação sexual precoce entre meninos e meninas. Segundo ela, “músicas com uma carga sexual muito forte aliadas a coreografias sensuais fazem com que as crianças tenham acesso a elementos que não são adequados a sua faixa etária, induzindo comportamentos inadequados”.

O artigo A música e o Desenvolvimento da Criança, de autoria da Doutora em Educação Monique Andries Nogueira, atesta que a música tem um papel importante nos aspect…

Lambe-sujo e Caboclinhos: a cultura viva

A força de uma cultura se revela na capacidade de agregar, envolver e orgulhar. Em Laranjeiras, isso se concretiza durante a “Festa do Lambe-Sujo”, folguedo sergipano encenado todos os anos no 2º domingo de outubro.


No folguedo, os negros (lambe-sujos) lutam contra a tentativa dos índios (caboclinhos) de destruírem os quilombos.



A partir das imagens captadas pela fotojornalista Ana Lícia Menezes é possível perceber o quão forte é a cultura local e a crença no folguedo. Carregado de simbolismo, o folguedo envolve crianças, jovens e adultos, que se apossam da história da terra para se divertir, se alegrar e manter viva a cultura.

Logo cedo, os lambe-sujos se espalham pela cidade, desde a entrada até a praça central de Laranjeiras. Assim, demarcam território e mostram que estão prontos para o combate. Em maioria, os lambe-sujos também ocupam a área próxima à igreja, onde recebem a benção do padre, antes de iniciar os embates.



Fortalecidos pela oração e crentes em sua fé, os lambe-sujos estã…

Um olhar para 2008

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no
limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e
entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra
vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra
diante vai ser diferente."
(Carlos Drummond de Andrade)


Recebi esse texto ontem pelo orkut como parte de uma mensagem de felicitações pelo novo ano que está por iniciar e me pus a pensar na verdade que ele transmite.

Todos temos a necessidade de ver nossas esperanças e sonhos sendo renovados. Todo indivíduo precisa planejar, desejar, acreditar. Planejar uma vida diferente, o início de um novo projeto. Desejar ascensão profissional, aprovação no vestibular ou em um concurso público. Acreditar em novo amor, em um novo tempo. Acreditar no fim da violência, na prevalescência do amor e da paz sobre toda a Terra, por mais que isso pareça utóp…