terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Unicef e Governo de Sergipe lançam, em Aracaju, campanha por uma infância sem racismo

Na próxima quarta-feira, 15 de dezembro, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e o Governo de Sergipe, por meio da Secretaria do Trabalho, da Juventude e da Promoção da Igualdade Social (Setrapis), promovem o lançamento estadual da campanha "Por uma infância e adolescência sem racismo – Valorizar as diferenças é cultivar igualdades". A ação tem o objetivo de alertar sobre o impacto do racismo na vida de crianças e adolescentes.

O evento acontece no Palácio dos Despachos, às 9 horas, e contará com a participação do secretário José Sobral, e do coordenador do Unicef para os Estados de Sergipe e Bahia, Ruy Pavan. Foram convidados para o lançamento: representantes de movimentos negros e indígenas e de entidades do Sistema de Garantia de Direitos da Infância e Adolescência, além de prefeitos e técnicos de municípios do Semiárido sergipano inscritos no programa Selo Unicef Município Aprovado (Edição 2009-2012).

Para o Unicef, a discriminação racial não apenas persiste no cotidiano das crianças no Brasil, como também se reflete nos números da desigualdade entre negros, indígenas e brancos. Com a campanha, o Unicef quer fazer um alerta sobre a necessidade da quebra do círculo vicioso do racismo para, dessa forma, estimular a criação e o fortalecimento de políticas públicas voltadas para as populações mais vulneráveis.

A campanha, lançada como parte da celebração dos 60 anos de atuação do Unicef no Brasil, tem como objetivo mobilizar a sociedade brasileira para a necessidade de assegurar a equidade e a igualdade étnico-racial desde a infância. Para o Unicef, o combate ao racismo implica valorizar as diferenças, promovendo a igualdade de tratamento e oportunidades para cada menina e menino no Brasil, o que ainda representa um grande desafio para o País.

Assim busca-se contribuir com o debate nacional sobre direitos da infância e adolescência, envolvendo cada segmento da sociedade no esforço do combate ao racismo a partir do reconhecimento de sua existência.

A Campanha

Para a primeira etapa da campanha, foram produzidas peças gráficas criadas pelas agências Ogilvy e AW Comunicação, parceiras da ação. A iniciativa conta com a participação do ator e embaixador do Unicef no Brasil, Lázaro Ramos. Lázaro gravou um filme de 4 minutos, em que o texto demonstra a situação das crianças negras e indígenas no Brasil. O filme tem uma versão de 27 segundos para ser veiculado nos canais de televisão que apoiam a campanha.

Além disso, como parte da campanha, será disseminado um folheto institucional que propõe “Dez maneiras de contribuir para uma infância sem racismo”, com orientações sobre como identificar, evitar e combater atitudes e ações discriminatórias. A campanha terá duração de um ano e será acompanhada de um blog (http://www.infanciasemracismo.org.br/).

Nenhum comentário: