Pular para o conteúdo principal

Por um Brasil mais democrático

Por Igor Almeida

A que nível chegou a política nacional nas eleições em 2010... Conflitos e acusações sempre existiram, já são características marcantes dos períodos eleitorais. O que assusta são as dimensões negativas que esses conflitos ideológico-partidários tomaram. Festa da democracia? O que realmente se viu até agora foi uma festa de ignorância e violência, do debate inconsistente e da disputa no grito.

Os jornais e telejornais do país foram inundados por manchetes sobre a agressão sofrida por Serra durante uma caminhada pela zona oeste do Rio de Janeiro, nesta última quarta-feira. Muito além da própria natureza reprovável do fato, o que se viu nos dias que se seguiram foi uma verdadeira agressão ao eleitor. Autoridades dos partidos, candidatos e até o presidente da república protagonizaram uma discussão inútil acerca do ocorrido, mesmo com a existência de inúmeras provas que afirmaram a sua veracidade.

Não quero aqui condenar a atuação irresponsável de Lula e muito menos pregar a inocência inquestionável de José Serra. Está comprovado que a agressão realmente aconteceu, mas ela também ganhou, claramente, leves contornos de manobra eleitoreira. Isso com a própria ajuda do presidente, pois se o mesmo não tivesse se manifestado da forma que fez esse fato não teria tomado as dimensões que tomou. E os tucanos agradecem.

Mas a intolerância realmente está fora de controle. Primeiro tentaram acertar a petista Dilma Roussef com um balão de água durante sua passagem por Curitiba. Agora agridem o candidato tucano. Não bastasse a mútua aniquilação partidária, já denunciada pela Senadora do PV, Marina Silva, PT e PSDB (e seus colaboradores) promovem agora uma mútua aniquilação física entre seus candidatos. Comportamento que desmoraliza o pleito eleitoral e fere os princípios democráticos.

E nesse processo destaca-se a participação ativa de um grande número de militantes, aspecto que causa uma revolta maior ainda. Qual é o novo sentido de atuação política? Que deturpação irreconhecível conferiram ao real significado da militância? Ser militante não é fazer papel de palhaço indo às ruas para provocar desordem. Ser militante é participar ativamente do processo político, defendendo as propostas do seu candidato, mas respeitando a ideologia adversária.

Os cidadãos, pelo menos aqueles conscientes, só esperam que até o domingo nada mais desagradável aconteça. Que tenhamos um fim de eleição tranqüilo e uma militância responsável. Queremos um novo presidente que “lute” para mudar o país e a sua cultura política, mas também queremos que ele venha “inteiro”. Sem mais, queremos uma democracia de verdade

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Erotização da música influi na precocidade sexual da criança

É comum vermos crianças cada vez mais novas cantando e dançando ao som de refrões carregados de sexualidade, utilizando roupas e calçados impróprios para essa fase. As músicas erotizadas se tornam febre entre meninos e meninas em todo o país, mesmo sem muitas vezes terem conhecimento do que estejam ouvindo ou dançando. Mas qual a influência dessas músicas no desenvolvimento da criança? De que modo a letra de uma canção pode influenciar o comportamento infantil?

Para a psicóloga Aline Maciel, músicas de cunho apelativo com letras que tratem de sexo estimulam a iniciação sexual precoce entre meninos e meninas. Segundo ela, “músicas com uma carga sexual muito forte aliadas a coreografias sensuais fazem com que as crianças tenham acesso a elementos que não são adequados a sua faixa etária, induzindo comportamentos inadequados”.

O artigo A música e o Desenvolvimento da Criança, de autoria da Doutora em Educação Monique Andries Nogueira, atesta que a música tem um papel importante nos aspect…

Lambe-sujo e Caboclinhos: a cultura viva

A força de uma cultura se revela na capacidade de agregar, envolver e orgulhar. Em Laranjeiras, isso se concretiza durante a “Festa do Lambe-Sujo”, folguedo sergipano encenado todos os anos no 2º domingo de outubro.


No folguedo, os negros (lambe-sujos) lutam contra a tentativa dos índios (caboclinhos) de destruírem os quilombos.



A partir das imagens captadas pela fotojornalista Ana Lícia Menezes é possível perceber o quão forte é a cultura local e a crença no folguedo. Carregado de simbolismo, o folguedo envolve crianças, jovens e adultos, que se apossam da história da terra para se divertir, se alegrar e manter viva a cultura.

Logo cedo, os lambe-sujos se espalham pela cidade, desde a entrada até a praça central de Laranjeiras. Assim, demarcam território e mostram que estão prontos para o combate. Em maioria, os lambe-sujos também ocupam a área próxima à igreja, onde recebem a benção do padre, antes de iniciar os embates.



Fortalecidos pela oração e crentes em sua fé, os lambe-sujos estã…

Um olhar para 2008

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no
limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e
entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra
vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra
diante vai ser diferente."
(Carlos Drummond de Andrade)


Recebi esse texto ontem pelo orkut como parte de uma mensagem de felicitações pelo novo ano que está por iniciar e me pus a pensar na verdade que ele transmite.

Todos temos a necessidade de ver nossas esperanças e sonhos sendo renovados. Todo indivíduo precisa planejar, desejar, acreditar. Planejar uma vida diferente, o início de um novo projeto. Desejar ascensão profissional, aprovação no vestibular ou em um concurso público. Acreditar em novo amor, em um novo tempo. Acreditar no fim da violência, na prevalescência do amor e da paz sobre toda a Terra, por mais que isso pareça utóp…