domingo, 12 de setembro de 2010

Contrariando a chapa de Déda, mais prefeitos anunciam apoio a Albano

Albano recebe apoio de Paulo Brito
“O nome de Albano está acima de siglas partidárias e sua candidatura independente serviu para mostrar isso, pois políticos de todas as tendências ideológicas estão sem constrangimento algum apoiando o seu nome para o Senado”. A declaração feita pelo prefeito de Poço Redondo, Frei Enoque, PSB, na última segunda-feira, 30, revela o crescimento do número de prefeitos que apóiam a candidatura de Albano Franco, PSDB, ao Senado, contrariando as alianças da chapa majoritária governista, que tem como candidatos a senador Eduardo Amorim, PSC, e Valadares, PSB.

Até mesmo dentro do próprio Partido dos Trabalhadores, há prefeitos que não estão seguindo às determinações da coligação “Pra Sergipe continuar seguindo em frente”, do candidato a governador Marcelo Déda. Depois do prefeito de Propriá, Paulo Brito, PT, anunciar no início de agosto o apoio a Albano Franco, na semana antepassada foi a vez da prefeita de Carmópolis, a petista Esmeralda Cruz, também informar que um dos seus candidatos ao Senado é o ex-governador tucano.

Aliado de primeira hora do Governo petista, o PC do B, de Edvaldo Nogueira, também tem seus ‘desertores’. O prefeito de Cristinápolis, padre Raimundo, PC do B, anunciou no início da semana passada que apoiará a candidatura de Albano ao Senado. Nos bastidores comenta-se que Edvaldo Nogueira também é um dos eleitores de Albano, de quem é amigo e aliado na administração da prefeitura de Aracaju. Em público, Edvaldo nega e afirma que apoia os candidatos Valadares e Amorim, da chapa governista. Ao justificar seu apoio, o prefeito de Cristinápolis disse que era possível apoiar o tucano ao Senado porque sua candidatura é independente.

Ao tratar sobre o assunto, o governador Marcelo Déda afirmou que não pode controlar os prefeitos de todos os partidos da aliança, mas disse que aqueles que são filiados ao PT seriam penalizados. Ouvido pelo Cinform, o presidente do PT, Silvio Santos, disse que cada caso será analisado ‘com tranquilidade’ depois do período eleitoral. “Ouviremos cada prefeito e cada liderança política que está descumprindo a determinação do partido, para só aí definirmos o que será feito”,afirma.

"Não é só o PT que está passando
por isso" / Foto: Infonet
"Nunca aconteceu"

De acordo com Silvio Santos, essa debandada de prefeitos para apoiar um candidato que não está na chapa é inédita. “Isso nunca aconteceu. Já tivemos casos de lideranças que não apoiaram o candidato definido pela chapa, mas que não anunciaram apoio a outros nomes fora da aliança”, disse. Sendo assim, o presidente do PT acredita que a candidatura independente de Albano Franco gerou este fato novo na política sergipana. “Não é só o PT que está passando por isso. Prefeitos e lideranças de outros blocos partidários também estão descumprindo o acordo e anunciando o apoio a Albano”, ressalta.

Sobre o que pode ocorrer com os prefeitos do PT por conta do descumprimento da aliança, Silvio Santos disse que cada situação será analisada pelo diretório estadual do PT, de forma democrática, para só a partir daí, definir qual penalidade será aplicada. “As punições vão desde a advertência, passando pela suspensão e podendo chegar a expulsão do partido”, explica.

Nenhum comentário: