Pular para o conteúdo principal

Disputa pelo Senado em Sergipe custará caro

Milionárias. É assim que podem ser definidas as campanhas dos principais candidatos ao Senado em Sergipe. A soma dos gastos de Albano Franco, PSDB, Valadares, PSB, Eduardo Amorim, PSC, e José Carlos Machado, DEM, poderá chegar a R$ 18 milhões. Os outros oito candidatos que também estão na disputa pelas duas vagas do Senado estipularam juntos gastos máximos de 13,2 milhões.

As campanhas de Albano, que será candidato independente, e de Machado, que integra a chapa do ex-governador João Alves, DEM, serão as mais caras: R$ 5 milhões cada uma. Logo atrás estão Amorim e Valadares (os dois compõem a coligação de Marcelo Déda, PT, ao Governo), que apresentaram ao Tribunal Regional Eleitoral - TRE - expectativa de gastar R$ 4 milhões cada um durante os três meses de campanha.

Dois outros candidatos também apresentaram ao TRE propostas de campanha milionárias: o candidato do PV, Antônio Leite, e o postulante do PPS, Emanuel Cacho, que estabeleceram em R$ 5 milhões o teto máximo dos gastos de suas campanhas. Mas na prática isto não deve ser efetivado. Isto porque a previsão feita por Leite e Cacho foi definida com base no segundo candidato da chapa da qual eles participam. Leite está na mesma coligação de Albano Franco e Cacho está aliançado com o também deputado federal José Carlos Machado.

Entre os mais 'humildes' - que também são aqueles que possuem chances mínimas de vitória e que segundo a pesquisa Dataform não alcançam em bloco nem 5% das intenções de votos -, o candidato do PSDC, João Nascimento, informou ao TRE que sua campanha poderá custar até R$ 2 milhões.

Os postulantes ao Senado do PRTB, Augusto Liberato e Paulo Vieira, estimam gastos de no máximo R$ 400 mil cada. Do PSTU, Leandro Soares e Lourdinha estabeleceram que suas campanhas não custarão mais do que R$ 50 mil cada uma. Mesmo valor definido pelo candidato do PSOL, Atamário Coelho. Na lanterna, o PCB aparece com as campanhas mais 'baratas': os professores Marques e Lula gastarão cada um R$10 mil.

Campanha de federal custa R$ 2 mi e estadual, R$ 1 mi

Não são apenas os candidatos majoritários - que querem o Governo e o Senado - que irão gastar muito em campanha. Para se eleger deputado federal em Sergipe, os candidatos da coligação 'Pra Sergipe continuar seguindo em frente', formada pelo PT, PSB, PMDB, PDT, PSC e PR, irão gastar R$ 2 milhões cada. O valor é o mesmo estipulado pela coligação de oposição 'Em nome do povo', composta pelo DEM, PPS e PP.

Entre os postulantes às 24 cadeiras da Assembleia Legislativa, as campanhas mais caras irão custar entre R$ 800 mil e R$ 1 milhão. Os candidatos a deputado estadual do PT, PSC, DEM, PMDB, PPS, PP e PTC poderão alcançar a cifra milionária, enquanto os do PSB gastarão um pouco menos: R$ 800 mil.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Erotização da música influi na precocidade sexual da criança

É comum vermos crianças cada vez mais novas cantando e dançando ao som de refrões carregados de sexualidade, utilizando roupas e calçados impróprios para essa fase. As músicas erotizadas se tornam febre entre meninos e meninas em todo o país, mesmo sem muitas vezes terem conhecimento do que estejam ouvindo ou dançando. Mas qual a influência dessas músicas no desenvolvimento da criança? De que modo a letra de uma canção pode influenciar o comportamento infantil?

Para a psicóloga Aline Maciel, músicas de cunho apelativo com letras que tratem de sexo estimulam a iniciação sexual precoce entre meninos e meninas. Segundo ela, “músicas com uma carga sexual muito forte aliadas a coreografias sensuais fazem com que as crianças tenham acesso a elementos que não são adequados a sua faixa etária, induzindo comportamentos inadequados”.

O artigo A música e o Desenvolvimento da Criança, de autoria da Doutora em Educação Monique Andries Nogueira, atesta que a música tem um papel importante nos aspect…

Lambe-sujo e Caboclinhos: a cultura viva

A força de uma cultura se revela na capacidade de agregar, envolver e orgulhar. Em Laranjeiras, isso se concretiza durante a “Festa do Lambe-Sujo”, folguedo sergipano encenado todos os anos no 2º domingo de outubro.


No folguedo, os negros (lambe-sujos) lutam contra a tentativa dos índios (caboclinhos) de destruírem os quilombos.



A partir das imagens captadas pela fotojornalista Ana Lícia Menezes é possível perceber o quão forte é a cultura local e a crença no folguedo. Carregado de simbolismo, o folguedo envolve crianças, jovens e adultos, que se apossam da história da terra para se divertir, se alegrar e manter viva a cultura.

Logo cedo, os lambe-sujos se espalham pela cidade, desde a entrada até a praça central de Laranjeiras. Assim, demarcam território e mostram que estão prontos para o combate. Em maioria, os lambe-sujos também ocupam a área próxima à igreja, onde recebem a benção do padre, antes de iniciar os embates.



Fortalecidos pela oração e crentes em sua fé, os lambe-sujos estã…

Um olhar para 2008

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no
limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e
entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra
vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra
diante vai ser diferente."
(Carlos Drummond de Andrade)


Recebi esse texto ontem pelo orkut como parte de uma mensagem de felicitações pelo novo ano que está por iniciar e me pus a pensar na verdade que ele transmite.

Todos temos a necessidade de ver nossas esperanças e sonhos sendo renovados. Todo indivíduo precisa planejar, desejar, acreditar. Planejar uma vida diferente, o início de um novo projeto. Desejar ascensão profissional, aprovação no vestibular ou em um concurso público. Acreditar em novo amor, em um novo tempo. Acreditar no fim da violência, na prevalescência do amor e da paz sobre toda a Terra, por mais que isso pareça utóp…