Pular para o conteúdo principal

Candidatos na TV não empolgam eleitores

Desde o último dia 17, o período eleitoral passou a figurar obrigatoriamente na programação da TV e do rádio, com os candidatos apresentando suas propostas. Por conta disso, esta reportagem quis saber a opinião dos eleitores sobre o desempenho dos postulantes ao Governo do Estado na primeira semana de propaganda eleitoral. Com exceção do candidato Henrique do Grupo Mexa-se, PRTB, que não produziu os programas de TV, os outros seis candidatos utilizaram o espaço na programação para apresentar suas propostas e defender seus projetos.

A reportagem ouviu cinco eleitores, que assistiram a propaganda eleitoral veiculada na sexta-feira, 20. Três eleitores (uma professora, um estudante e uma jornalista) assistiram ao programa do início da tarde e dois (uma pedagoga e uma auxiliar de enfermagem), a propaganda da noite. Como pontos comuns da análise dos eleitores estão a superficialidade dos discursos dos candidatos e a falta de renovação política. Eles também têm a certeza de que os programas não serão definidores do voto.

"Nada de novo foi ao ar, até agora. Os candidatos mostram o que já fizeram - aqueles que já estiveram na condição de governador - e o que pretendem fazer caso sejam escolhidos", afirma a pedagoga Marluce de Souza. Da mesma forma, a professora Maria Izabella Matos ressalta que seu 'voto não será definido pelo o que assisto durante o horário político'. "É notável a discrepância entre os candidatos no que diz respeito à produção do programa e à proposta política", entende.

"Os candidatos são mais ou menos iguais na abordagem, principalmente, Déda e João. Eles ficam falando mal do Governo do outro e exaltando o deles", avalia a jornalista Taís Rocha. A auxiliar de enfermagem Vanessa Lima salienta que 'algumas propostas são interessantes, já outras soam como mentira, principalmente se forem de candidatos que já ocuparam a função de governador'.

Para o estudante universitário Elber Ricardo Alves, há propostas 'claramente contraditórias'. "Mas há também propostas interessantes, mas sem base sólida", analisa. Opinião que é compartilhada por Marluce de Souza. De acordo com ela, 'os candidatos que ainda não estiveram na condução do Estado tentam seduzir com propostas, às vezes, inexequíveis demais para serem levadas a sério'.

'Déda mais seguro'
Na avaliação de três eleitores, o candidato Marcelo Déda, PT, teve melhor desempenho do que os demais. "Déda levou ao ar um programa que deu maior destaque as importância do planejamento, para o desenvolvimento de ações, enquanto João optou por utilizar a imagem da senadora Maria do Carmo para sensibilizar", disse o estudante Elber Alves. A professora Maria Izabella Matos avalia que 'o candidato da situação demonstra muita segurança em relação à reeleição, já João Alves se coloca como desafiador, querendo mostrar que ainda tem eleitores fiéis, mesmo distante quatro anos do governo'.

"Senti que o programa de João foi mais apelativo, tentando sensibilizar o povo com a história do João que ama Maria, da Maria que ama o João e que os dois amam Sergipe", afirmou a jornalista Taís Rocha. "Déda foi mais formal e soube explorar bem a comparação com o presidente Lula, que precisou de oito anos para executar todas as ações de Governo", frisou.

'Eleição de cores'
Além de considerar os programas incipientes na apresentação de propostas, os eleitores reclamam da falta de renovação entre os que querem governar o Estado. Eles entendem que Déda e João não representam alteração no curso das ações do Governo, independente de quem seja eleito, e avaliam que os demais candidatos não estão aptos a desempenhar a função de governador do Estado.

"Estamos diante novamente de uma disputa entre dois mandachuvas. Não existe em Sergipe uma pluralidade política, o que enfraquece qualquer expectativa de mudança no rumo político do Estado. Mais uma vez estamos em uma eleição de cores - vermelha e verde -, e padecendo do que realmente interessa", afirma Maria Izabella.

"À parte as críticas e acusações de um lado e, os sonhos tresloucados, de outro, o horário político volta ao ar com sua profusão de imagens, idiossincrasias e uma certa dose de humor", avalia Marluce de Souza. "Falta opção. Sergipe carece de um candidato que volte a fazer com que acreditemos num Estado melhor", reforça Vanessa Lima.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Erotização da música influi na precocidade sexual da criança

É comum vermos crianças cada vez mais novas cantando e dançando ao som de refrões carregados de sexualidade, utilizando roupas e calçados impróprios para essa fase. As músicas erotizadas se tornam febre entre meninos e meninas em todo o país, mesmo sem muitas vezes terem conhecimento do que estejam ouvindo ou dançando. Mas qual a influência dessas músicas no desenvolvimento da criança? De que modo a letra de uma canção pode influenciar o comportamento infantil?

Para a psicóloga Aline Maciel, músicas de cunho apelativo com letras que tratem de sexo estimulam a iniciação sexual precoce entre meninos e meninas. Segundo ela, “músicas com uma carga sexual muito forte aliadas a coreografias sensuais fazem com que as crianças tenham acesso a elementos que não são adequados a sua faixa etária, induzindo comportamentos inadequados”.

O artigo A música e o Desenvolvimento da Criança, de autoria da Doutora em Educação Monique Andries Nogueira, atesta que a música tem um papel importante nos aspect…

Lambe-sujo e Caboclinhos: a cultura viva

A força de uma cultura se revela na capacidade de agregar, envolver e orgulhar. Em Laranjeiras, isso se concretiza durante a “Festa do Lambe-Sujo”, folguedo sergipano encenado todos os anos no 2º domingo de outubro.


No folguedo, os negros (lambe-sujos) lutam contra a tentativa dos índios (caboclinhos) de destruírem os quilombos.



A partir das imagens captadas pela fotojornalista Ana Lícia Menezes é possível perceber o quão forte é a cultura local e a crença no folguedo. Carregado de simbolismo, o folguedo envolve crianças, jovens e adultos, que se apossam da história da terra para se divertir, se alegrar e manter viva a cultura.

Logo cedo, os lambe-sujos se espalham pela cidade, desde a entrada até a praça central de Laranjeiras. Assim, demarcam território e mostram que estão prontos para o combate. Em maioria, os lambe-sujos também ocupam a área próxima à igreja, onde recebem a benção do padre, antes de iniciar os embates.



Fortalecidos pela oração e crentes em sua fé, os lambe-sujos estã…

Um olhar para 2008

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no
limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e
entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra
vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra
diante vai ser diferente."
(Carlos Drummond de Andrade)


Recebi esse texto ontem pelo orkut como parte de uma mensagem de felicitações pelo novo ano que está por iniciar e me pus a pensar na verdade que ele transmite.

Todos temos a necessidade de ver nossas esperanças e sonhos sendo renovados. Todo indivíduo precisa planejar, desejar, acreditar. Planejar uma vida diferente, o início de um novo projeto. Desejar ascensão profissional, aprovação no vestibular ou em um concurso público. Acreditar em novo amor, em um novo tempo. Acreditar no fim da violência, na prevalescência do amor e da paz sobre toda a Terra, por mais que isso pareça utóp…