Pular para o conteúdo principal

São João de Sergipe: estamos prontos para receber os turistas?

(O texto é de autoria do jornalista Menilson Filho, que também mantém um blog na web. Como concordei com cada linha do que ele diz neste post, transcrevo aqui neste espaço)

Os festejos juninos em Sergipe começaram e seguem a todo vapor. Além de manter viva a tradição do nosso povo e proporcionar muita alegria, a festa é muito importante por movimentar a economia através do turismo. Os visitantes chegam aos montes nesta época e querem viver um momento especial, conhecer melhor os nossos costumes e se isso não fosse suficiente, ainda depositam um dinheirinho nos cofres do nosso Estado – movimentando a economia direta e indiretamente. Diante de tamanha importância eu deixo a seguinte questão: estamos preparados para receber este público tão especial?

O motivo de minha preocupação surgiu a partir da informação dada pelo atual prefeito de Aracaju, Edivaldo Nogueira, na noite de ontem, 18, durante o Forró Caju, a respeito da grande quantidade de turistas hospedada na capital. Logo após, em uma das minhas construtivas leituras no Twitter, vi um post espontâneo pedindo o bom tratamento a estes visitantes. De fato precisamos fazer isso! A casa está cheia de hóspedes, mas será que estamos aptos a recebê-los bem?

Esforço não é a questão, já que sergipano sente a constante necessidade de estar sempre agradando – esteja onde estiver - e se esforça muito para isso. Neste caso, a preocupação está mais voltada para o fator competência – ou falta dela. Isso acontece, pois ainda caminhamos a passos lentos com relação ao turismo. Dentre os problemas existentes estão a falta de placas indicativas, de transportes e de preparação adequada dos profissionais que trabalham diretamente com este público. Não bastar ser bonitinha e limpinha, é preciso é ter o que ofertar e fazê-lo com qualidade.

A saída é complexa e descobrir uma solução ideal para esta questão levaria muito tempo de análise e discussões, mas tudo pode começar de forma simples e pelo bom senso. Empresários devem compreender que os investimentos são necessários e devem ser bem feitos para garantir o retorno dos seus clientes. Do mesmo modo os funcionários devem se especializar para garantir bons serviços, que trarão retorno a curto, médio e longo prazo. A população também deve fazer sua parte. Lembra o pedido de receber bem os turistas? Então faça! Trate bem, demonstre satisfação, seja educado e ajude, sempre! Sergipe é um Estado bom para se ver e conhecer, mas será que já está pronto para ser turístico? Eu aposto que sim, mas todos precisam continuar se esforçando.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Erotização da música influi na precocidade sexual da criança

É comum vermos crianças cada vez mais novas cantando e dançando ao som de refrões carregados de sexualidade, utilizando roupas e calçados impróprios para essa fase. As músicas erotizadas se tornam febre entre meninos e meninas em todo o país, mesmo sem muitas vezes terem conhecimento do que estejam ouvindo ou dançando. Mas qual a influência dessas músicas no desenvolvimento da criança? De que modo a letra de uma canção pode influenciar o comportamento infantil?

Para a psicóloga Aline Maciel, músicas de cunho apelativo com letras que tratem de sexo estimulam a iniciação sexual precoce entre meninos e meninas. Segundo ela, “músicas com uma carga sexual muito forte aliadas a coreografias sensuais fazem com que as crianças tenham acesso a elementos que não são adequados a sua faixa etária, induzindo comportamentos inadequados”.

O artigo A música e o Desenvolvimento da Criança, de autoria da Doutora em Educação Monique Andries Nogueira, atesta que a música tem um papel importante nos aspect…

Lambe-sujo e Caboclinhos: a cultura viva

A força de uma cultura se revela na capacidade de agregar, envolver e orgulhar. Em Laranjeiras, isso se concretiza durante a “Festa do Lambe-Sujo”, folguedo sergipano encenado todos os anos no 2º domingo de outubro.


No folguedo, os negros (lambe-sujos) lutam contra a tentativa dos índios (caboclinhos) de destruírem os quilombos.



A partir das imagens captadas pela fotojornalista Ana Lícia Menezes é possível perceber o quão forte é a cultura local e a crença no folguedo. Carregado de simbolismo, o folguedo envolve crianças, jovens e adultos, que se apossam da história da terra para se divertir, se alegrar e manter viva a cultura.

Logo cedo, os lambe-sujos se espalham pela cidade, desde a entrada até a praça central de Laranjeiras. Assim, demarcam território e mostram que estão prontos para o combate. Em maioria, os lambe-sujos também ocupam a área próxima à igreja, onde recebem a benção do padre, antes de iniciar os embates.



Fortalecidos pela oração e crentes em sua fé, os lambe-sujos estã…

Um olhar para 2008

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no
limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e
entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra
vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra
diante vai ser diferente."
(Carlos Drummond de Andrade)


Recebi esse texto ontem pelo orkut como parte de uma mensagem de felicitações pelo novo ano que está por iniciar e me pus a pensar na verdade que ele transmite.

Todos temos a necessidade de ver nossas esperanças e sonhos sendo renovados. Todo indivíduo precisa planejar, desejar, acreditar. Planejar uma vida diferente, o início de um novo projeto. Desejar ascensão profissional, aprovação no vestibular ou em um concurso público. Acreditar em novo amor, em um novo tempo. Acreditar no fim da violência, na prevalescência do amor e da paz sobre toda a Terra, por mais que isso pareça utóp…