Pular para o conteúdo principal

Dias decisivos

Os últimos nove dias do mês de junho serão decisivos para a definição das alianças partidárias. Nesta segunda, 21, o PMDB deu o pontapé inicial na realização das convenções partidárias. Mesmo sem a presença do senador Almeida Lima, o partido aprovou a candidatura de Jackson Barreto como vice, a cessão da vaga da pré-candidatura antes existente de senador para o PSC (outro partido da chapa governista) e votou favorável as candidaturas de Warderlê Correa, Garibalde Mendonça, Zezinho Guimarães, Renato Brandão e Nelson Araújo como deputados estaduais e Fábio Reis, Soares Pinto e Almeida Lima para deputados federais.

Na quinta-feira, 24, quem realiza convenção é o PT, com a presença de Dilma Rousseff. O evento promete. Deverá reunir todos os aliados na oficialização do nome de Marcelo Déda para a candidatura à reeleição. E no dia 30, fechando as convenções principais da base dedista reúnem-se PSB (do senador Valadares) e PSC (e mais sete outros partidos menores que apóiam Eduardo Amorim).

Tudo indo muito bem, inclusive com os panos quentes que foram colocados sobre o senador Almeida Lima, que, depois de muito barulho, aceitou ser deputado federal. A oposição, inclusive, acreditava que alguém ia sobrar no grupo de Déda. Torciam por um racha excluindo Amorim ou até mesmo Valadares, por conta da saída de Belivaldo da vice. Mas isso não ocorreu.

Do lado de lá – que não é, necessariamente, o meu lado de lá, mas é o lado de lá de Déda e de seu grupo –, João Alves ainda tem trabalho para fechar uma chapa competitiva (sobre esse assunto falei na semana passada aqui no blog). Pelo andar da carruagem, Nilson Lima não abre mão de sua candidatura a governador e não coliga com o DEM. Da mesma forma, o PV deve manter seus candidatos numa chapa majoritária independente, mesmo com Anderson Góis propenso à candidatura de vice de João.

Assim, só restará ao DEM o PSDB de Albano Franco (que ainda luta para fechar candidaturas à Assembleia e a Câmara) e o PP de Venâncio Fonseca (e só de Venâncio mesmo, pois seu irmão, Cleonâncio Fonseca, vai com Rogério Carvalho para federal e deve votar em Déda). Situação complicada. Sobre as dificuldades de João, a coluna Cinformando, do jornalista Jozailto Lima, traz uma análise interessante. Afirma Jozailto que os problemas de João para formatar uma chapa competitiva não são de hoje. E começam pela falta de nomes fortes para a vice.

Mesmo com todas essas problemáticas, o Dataform traz pesquisa hoje com João Alves em segundo, mas em situação bem confortável, já que ele rema contra a maré que está com Déda. João pontua 34% contra 41% de Déda. Quando a campanha começar em julho e a propaganda eleitoral da TV iniciar em agosto, o cenário poderá se confirmar da forma que está, mas uma virada não está descartada (ainda que João tenha muitas dificuldades para isso). Outrossim, Déda pode disparar , afinal de contas, nos últimos seis meses, o Governo desembestou a inaugurar obras, o que pode mudar a opinião – e o voto – dos que reclamaram nos últimos três anos da morosidade da gestão petista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Erotização da música influi na precocidade sexual da criança

É comum vermos crianças cada vez mais novas cantando e dançando ao som de refrões carregados de sexualidade, utilizando roupas e calçados impróprios para essa fase. As músicas erotizadas se tornam febre entre meninos e meninas em todo o país, mesmo sem muitas vezes terem conhecimento do que estejam ouvindo ou dançando. Mas qual a influência dessas músicas no desenvolvimento da criança? De que modo a letra de uma canção pode influenciar o comportamento infantil?

Para a psicóloga Aline Maciel, músicas de cunho apelativo com letras que tratem de sexo estimulam a iniciação sexual precoce entre meninos e meninas. Segundo ela, “músicas com uma carga sexual muito forte aliadas a coreografias sensuais fazem com que as crianças tenham acesso a elementos que não são adequados a sua faixa etária, induzindo comportamentos inadequados”.

O artigo A música e o Desenvolvimento da Criança, de autoria da Doutora em Educação Monique Andries Nogueira, atesta que a música tem um papel importante nos aspect…

Lambe-sujo e Caboclinhos: a cultura viva

A força de uma cultura se revela na capacidade de agregar, envolver e orgulhar. Em Laranjeiras, isso se concretiza durante a “Festa do Lambe-Sujo”, folguedo sergipano encenado todos os anos no 2º domingo de outubro.


No folguedo, os negros (lambe-sujos) lutam contra a tentativa dos índios (caboclinhos) de destruírem os quilombos.



A partir das imagens captadas pela fotojornalista Ana Lícia Menezes é possível perceber o quão forte é a cultura local e a crença no folguedo. Carregado de simbolismo, o folguedo envolve crianças, jovens e adultos, que se apossam da história da terra para se divertir, se alegrar e manter viva a cultura.

Logo cedo, os lambe-sujos se espalham pela cidade, desde a entrada até a praça central de Laranjeiras. Assim, demarcam território e mostram que estão prontos para o combate. Em maioria, os lambe-sujos também ocupam a área próxima à igreja, onde recebem a benção do padre, antes de iniciar os embates.



Fortalecidos pela oração e crentes em sua fé, os lambe-sujos estã…

Um olhar para 2008

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no
limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e
entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra
vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra
diante vai ser diferente."
(Carlos Drummond de Andrade)


Recebi esse texto ontem pelo orkut como parte de uma mensagem de felicitações pelo novo ano que está por iniciar e me pus a pensar na verdade que ele transmite.

Todos temos a necessidade de ver nossas esperanças e sonhos sendo renovados. Todo indivíduo precisa planejar, desejar, acreditar. Planejar uma vida diferente, o início de um novo projeto. Desejar ascensão profissional, aprovação no vestibular ou em um concurso público. Acreditar em novo amor, em um novo tempo. Acreditar no fim da violência, na prevalescência do amor e da paz sobre toda a Terra, por mais que isso pareça utóp…