Pular para o conteúdo principal

Almeida já fala em candidaturas próprias do PMDB. Onde isso vai dar?

Toda essa celeuma criada agora pelo senador Almeida Lima há menos de um mês do fim do prazo para que os partidos fechem as chapas não era uma coisa que eu esperava. Acompanho os desdobramentos de cada declaração dos principais políticos sergipanos desde que o ano começou e que Déda retornou ao cargo.


Desde então, os grupos da base aliada trabalham na acomodação dos nomes e na busca pelas melhores condições para formatar uma chapa competitiva. Foi assim ao longo desses quase cinco meses que redundaram na chapa Déda (governador), Jackson (vice), Eduardo Amorim e Valadares (senadores).

Não tenho nada contra a candidatura de Almeida Lima e como ele mesmo diz, concordo que ele está no pleno direito de pleitear a reeleição depois do excelente trabalho que desempenhou como presidente da Comissão de Orçamento. No entanto, acho que o senador chegou tarde. Lembro que do início do ano até agora tive a oportunidade de entrevistar Almeida por mais de quatro vezes e ele sempre me dizia que ainda era cedo para discutir eleição.

Agora entendo o porquê disso. O senador trabalhou pelo fortalecimento de apoios (prefeitos, senadores e Executiva Nacional) para entrar em campo com todas as armas possíveis e lutar por espaço. Hoje, como informei mais cedo, Almeida teve um encontro com Jackson para falar do seu interesse em ser candidato e para reafirmar que está aberto ao diálogo e que quer contribuir para a reeleição de Déda.

No twitter, o senador publicou suas impressões da reunião, que transcrevo a partir de agora: “foi uma conversa civilizada que me agradou muito, menos pelo que foi conversado, mas pelo fato em si do reencontro. Sem holofotes nem pressões, mas com certo ar de apreensão. Falei o necessário e, com clareza, disse que sou a favor da candidatura dele a vice, que a candidatura a senador passava a ser do PMDB. Disse mais que, com boa vontade, a solução será encontrada. Quero somar, sem excluir”.

Tem mais no twitter de Almeida Lima: “Disse que não fui nem estou sendo levado em consideração. Busquei o diálogo e fizeram “ouvidos de mercador” Jamais vi tanta soberba e desdém. Sentindo a ausência de espaço para o entendimento, frisei que o PMDB poderia não participar da aliança e sair com candidaturas próprias e perguntei se ele poderia ser o candidato a governador e eu a senador. Ele respondeu “eu não!” Então eu lhe disse que, nessa hipótese, eu serei”.

Concluindo o senador afirmou o seguinte: “Aguardemos os fatos. Não haverá briga. Chega! Continuo aberto ao diálogo. Acho que posso contribuir muito com a aliança e com a reeleição de Marcelo Déda. Por que me excluir? Ou o que querem é cassar um candidato Ficha Limpa? Como é que vão justificar ao povo de Sergipe a minha cassação sem que eu responda a nenhum processo? Nem a ditadura militar fez isso. Ela, pelo menos, forjava um processo para tentar se justificar à opinião pública nacional e internacional”.

Muito dá para se apreender do que Almeida falou. Mas algumas coisas merecem mais destaque: “a conversa me agradou menos pelo que foi conversado”. Ou seja, não se avançou praticamente em nada. Segundo: “frisei que o PMDB poderia sair com candidaturas próprias, com Jackson como candidato a governador e eu a senador”. Essa nem preciso me alongar nas considerações. Digo apenas que seria suicídio.

Por fim, Almeida diz: “Aguardemos os fatos. Não haverá briga. Chega!”. Disso dá a entender que ele tem mais cartas na manga. O que vem por aí? Será que o presidente Lula fará alguma exigência ao governador amanhã? De todo modo, acredito que a busca por espaço agora por parte de Almeida em ele mantendo essa obstinação pelo senado não terá um final feliz.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Erotização da música influi na precocidade sexual da criança

É comum vermos crianças cada vez mais novas cantando e dançando ao som de refrões carregados de sexualidade, utilizando roupas e calçados impróprios para essa fase. As músicas erotizadas se tornam febre entre meninos e meninas em todo o país, mesmo sem muitas vezes terem conhecimento do que estejam ouvindo ou dançando. Mas qual a influência dessas músicas no desenvolvimento da criança? De que modo a letra de uma canção pode influenciar o comportamento infantil?

Para a psicóloga Aline Maciel, músicas de cunho apelativo com letras que tratem de sexo estimulam a iniciação sexual precoce entre meninos e meninas. Segundo ela, “músicas com uma carga sexual muito forte aliadas a coreografias sensuais fazem com que as crianças tenham acesso a elementos que não são adequados a sua faixa etária, induzindo comportamentos inadequados”.

O artigo A música e o Desenvolvimento da Criança, de autoria da Doutora em Educação Monique Andries Nogueira, atesta que a música tem um papel importante nos aspect…

Lambe-sujo e Caboclinhos: a cultura viva

A força de uma cultura se revela na capacidade de agregar, envolver e orgulhar. Em Laranjeiras, isso se concretiza durante a “Festa do Lambe-Sujo”, folguedo sergipano encenado todos os anos no 2º domingo de outubro.


No folguedo, os negros (lambe-sujos) lutam contra a tentativa dos índios (caboclinhos) de destruírem os quilombos.



A partir das imagens captadas pela fotojornalista Ana Lícia Menezes é possível perceber o quão forte é a cultura local e a crença no folguedo. Carregado de simbolismo, o folguedo envolve crianças, jovens e adultos, que se apossam da história da terra para se divertir, se alegrar e manter viva a cultura.

Logo cedo, os lambe-sujos se espalham pela cidade, desde a entrada até a praça central de Laranjeiras. Assim, demarcam território e mostram que estão prontos para o combate. Em maioria, os lambe-sujos também ocupam a área próxima à igreja, onde recebem a benção do padre, antes de iniciar os embates.



Fortalecidos pela oração e crentes em sua fé, os lambe-sujos estã…

Um olhar para 2008

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no
limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e
entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra
vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra
diante vai ser diferente."
(Carlos Drummond de Andrade)


Recebi esse texto ontem pelo orkut como parte de uma mensagem de felicitações pelo novo ano que está por iniciar e me pus a pensar na verdade que ele transmite.

Todos temos a necessidade de ver nossas esperanças e sonhos sendo renovados. Todo indivíduo precisa planejar, desejar, acreditar. Planejar uma vida diferente, o início de um novo projeto. Desejar ascensão profissional, aprovação no vestibular ou em um concurso público. Acreditar em novo amor, em um novo tempo. Acreditar no fim da violência, na prevalescência do amor e da paz sobre toda a Terra, por mais que isso pareça utóp…