Pular para o conteúdo principal

“Estou muito bem, mas antes de retomar o Governo quero 10 dias de férias”, diz Déda

Governador conta como foi cirurgia, fala da recuperação, agradece apoio e oração dos sergipanos e elogia atuação de Belivaldo

O governador Marcelo Déda, PT, que ainda se recupera em São Paulo da cirurgia para retirada de um nódulo no pâncreas, concedeu sua primeira entrevista após a saída do hospital. Mas esta não foi realizada com veículos de imprensa, e sim com o secretário de Estado da Comunicação, Carlos Cauê. A conversa está disponível em vídeo no blog do Governo (http://www.e-sergipe.net/). Com uma boa aparência, Marcelo Déda deixa claro que está em ótimas condições de saúde e afirma estar satisfeito com o ‘excelente’ trabalho realizado pelo governador em exercício, Belivaldo Chagas, PSB.
Sobre a descoberta da lesão no pâncreas, Déda explica que sua viagem a São Paulo foi motivada pela palestra que realizaria para empresários na Fiesp no dia 30 de setembro e por conta disso ele aproveitou a oportunidade para realizar exames de rotina. “Fui fazer um checape de rotina da área cardíaca e o médico solicitou que fosse feita uma tomografia coronariana e aí foi quando ele pediu que baixasse um pouco o equipamento para verificar o meu abdômen e foi quando ele percebeu a existência de um caroço no pâncreas de 1,8 cm”, detalha.
A partir daí o médico informou para o governador que precisaria se submeter a uma cirurgia para retirada do nódulo. “Dei a palestra, me reuni com empresários, tive uma reunião com o vice-governador, o prefeito de Aracaju e alguns secretários e comuniquei da cirurgia. Solicitei que eles dessem seguimento à nossa agenda e na sexta-feira, dia 2 de outubro, eu entrei na sala de cirurgia, para extirpar o nódulo”, relata.
O procedimento cirúrgico durou quatro horas e quando os médicos realizaram a biopsia foi constatado que era uma pancreatite focal e que não havia nenhuma célula cancerígena. “Conseguimos tirar a grande preocupação de que fosse um tumor maligno e, feita a cirurgia, o problema está definitivamente resolvido”, garante Déda, que ressalta que a partir de agora terá que mudar sua alimentação.
“Vou ter novos hábitos alimentares. Reduzir a gordura e ter uma dieta mais saudável. Aquele negócio de sarapatel, buchada e feijoada eu não vou poder, no mínimo, pelos próximos dois anos”, avisa. Vegetais, peixe e frango passarão a fazer parte da nova dieta do governador. “Será uma mudança de vida, perderei um pouco do sabor, mas vou ganhar em saúde”, frisa.
COMO ESTÁ SE SENTINDO
Marcelo Déda afirmou que agora está sem sentindo bem. “Vim para um hotel, estou consultando os médicos, indo ao ambulatório, mas estou me sentindo muito bem, embora um pouco fraco ainda. Foram 20 dias de internação, mas agora estou com uma vida quase normal, indo ao cinema, a exposições, teatro, retomando a normalidade”, ressaltou.
Sobre a volta ao Estado e ao trabalho, o governador explicou que até o início da próxima semana ele estará liberado pelos médicos. “Mas antes de retomar o governo, quero de oito a dez dias, para dar uma descansada. Os 20 dias no hospital foram longos. Quero matar a saudade dos filhos, dos meus pais, da família, matar a saudade do sol, da praia, voltar a respirar o ar de Sergipe, recarregar as baterias, para só assim retomar com tranquilidade as tarefas do governo”, disse.

“Estou nessa batalha desde 2001. Faz tempo que eu não sei o que são férias. Acho que é bom cuidar um pouco da gente, dar uma recuperada e voltar com todo gás para as realizações e as transformações do Estado”, justificou.

BELIVALDO
Déda também ressaltou sua satisfação quanto ao trabalho desenvolvido por Belivaldo Chagas. “Está fazendo um trabalho extraordinário. Além de ser um grande vice, ele é também um homem de bem, leal, coreto, muito competente. Tudo que combinamos foi feito. Nenhuma obra foi atrasada, nada foi cancelado”, elogiou.


O governador aproveitou a entrevista para agradecer o carinho dos sergipanos e para destacar que esteve em todo momento confiante em Deus. “Ao tomar conhecimento das visitas, das correntes de orações de pessoas de todas as religiões em Sergipe, você não sabe que ânimo isso me deu! Nos momentos de maior preocupação e mais sofrimentos, eu sei que não estava sozinho. Estava com o povo ao meu lado”, afirmou.
Déda disse ainda que nos momentos à noite, quando acordava febril ou com dor localizada, tinha a impressão que escutava os versos de uma música que gosta muito. “Diz assim: ‘o mundo até pode te fazer chorar, mas Deus te quer sorrindo’. Quando a dor e a preocupação vinham, eu me lembrava desse verso e dizia pra mim mesmo: ‘Déda, o mundo e essa cirurgia podem até estar querendo fazer você chorar, mas Deus te quer sorrindo’. Esse verso que vinha à minha mente, ao meu coração e aos meus lábios, nascia das orações, da fé, da solidariedade e do amor do povo de Sergipe. Eu quero agradecer do fundo do meu coração”, afirmou.
Por Valter Lima

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Erotização da música influi na precocidade sexual da criança

É comum vermos crianças cada vez mais novas cantando e dançando ao som de refrões carregados de sexualidade, utilizando roupas e calçados impróprios para essa fase. As músicas erotizadas se tornam febre entre meninos e meninas em todo o país, mesmo sem muitas vezes terem conhecimento do que estejam ouvindo ou dançando. Mas qual a influência dessas músicas no desenvolvimento da criança? De que modo a letra de uma canção pode influenciar o comportamento infantil?

Para a psicóloga Aline Maciel, músicas de cunho apelativo com letras que tratem de sexo estimulam a iniciação sexual precoce entre meninos e meninas. Segundo ela, “músicas com uma carga sexual muito forte aliadas a coreografias sensuais fazem com que as crianças tenham acesso a elementos que não são adequados a sua faixa etária, induzindo comportamentos inadequados”.

O artigo A música e o Desenvolvimento da Criança, de autoria da Doutora em Educação Monique Andries Nogueira, atesta que a música tem um papel importante nos aspect…

Lambe-sujo e Caboclinhos: a cultura viva

A força de uma cultura se revela na capacidade de agregar, envolver e orgulhar. Em Laranjeiras, isso se concretiza durante a “Festa do Lambe-Sujo”, folguedo sergipano encenado todos os anos no 2º domingo de outubro.


No folguedo, os negros (lambe-sujos) lutam contra a tentativa dos índios (caboclinhos) de destruírem os quilombos.



A partir das imagens captadas pela fotojornalista Ana Lícia Menezes é possível perceber o quão forte é a cultura local e a crença no folguedo. Carregado de simbolismo, o folguedo envolve crianças, jovens e adultos, que se apossam da história da terra para se divertir, se alegrar e manter viva a cultura.

Logo cedo, os lambe-sujos se espalham pela cidade, desde a entrada até a praça central de Laranjeiras. Assim, demarcam território e mostram que estão prontos para o combate. Em maioria, os lambe-sujos também ocupam a área próxima à igreja, onde recebem a benção do padre, antes de iniciar os embates.



Fortalecidos pela oração e crentes em sua fé, os lambe-sujos estã…

Um olhar para 2008

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no
limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e
entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra
vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra
diante vai ser diferente."
(Carlos Drummond de Andrade)


Recebi esse texto ontem pelo orkut como parte de uma mensagem de felicitações pelo novo ano que está por iniciar e me pus a pensar na verdade que ele transmite.

Todos temos a necessidade de ver nossas esperanças e sonhos sendo renovados. Todo indivíduo precisa planejar, desejar, acreditar. Planejar uma vida diferente, o início de um novo projeto. Desejar ascensão profissional, aprovação no vestibular ou em um concurso público. Acreditar em novo amor, em um novo tempo. Acreditar no fim da violência, na prevalescência do amor e da paz sobre toda a Terra, por mais que isso pareça utóp…